Ver as cores de uma música ou sentir o sabor de imagens? Conheça a sinestesia

Raro distúrbio neurológico causa mistura entre os sentidos

Fonte: Paweł Czerwiński

A sinestesia é classificada como um raro distúrbio neurológico capaz de “embaralhar” os sentidos. Dessa forma, as conexões sensoriais (visão, tato, audição, paladar e olfato) confundem-se e resultam em diferentes manifestações involuntárias. A resposta cerebral também pode envolver emoções, fazendo com que, em alguns casos, uma imagem provoque um sabor alegre, irritante ou triste.  

Normalmente, quando recebemos estímulos externos, cada um deles percorre sua trajetória particular de processamento no nosso cérebro. A sinestesia faz com que os acessos se misturem e causem reações cruzadas, o que sentimos através do paladar pode ser desencadeado pela audição e assim por diante. O sinesteta, pessoa diagnosticada com a condição, pode, por exemplo, sentir o cheiro de cores, o sabor de músicas ou ouvir o som de fotografias. 

Contudo, as misturas sempre desencadeiam resultados parecidos. Toda vez que alguém com a condição de sinestesia entrar em contato com o mesmo estímulo externo, terá uma reação semelhante. Um sinesteta que vê a cor azul quando escuta o famoso “Parabéns pra você”, vai enxergar tons azulados em todo aniversário que presenciar. As experiências, como a visualização de formas, são projetadas fora do corpo, ou seja, o indivíduo com sinestesia observa as formas a uma pequena distância. 

O que causa a sinestesia?

Os cientistas ainda não sabem definir quais são as causas desse distúrbio que afeta pelo menos 4% da população mundial. Até agora, a única condição com influência confirmada no desenvolvimento da sinestesia são os fatores genéticos – algumas famílias contam com diversos integrantes sinestetas. Também não há um consenso sobre o motivo, mas estudos mostram que a maioria das pessoas com sinestesia são do sexo feminino. 

A condição neurológica não é uma doença. Inclusive, muitos neurologistas acreditam que todos nós nascemos sinestetas, mas perdemos aos poucos essa mistura sensorial conforme o sistema nervoso vai evoluindo. Existem mais de 60 tipos de manifestação da sinestesia categorizados até o momento e um pequeno número de pessoas pode apresentar a soma de quase 10 categorias diferentes, porém, o mais comum é que cada indivíduo tenha um ou dois tipos.  

Famosos com sinestesia 

Indivíduos com capacidades sinestésicas frequentemente escolhem seguir carreiras artísticas, pois estas permitem a expressão das suas vivências multissensoriais. Acredita-se que o pintor Vincent Van Gogh possuía uma categoria de sinestesia denominada cromestesia, a mais comum entre as pessoas com essa condição, resultando na capacidade de ver cores ao ouvir determinadas sonoridades. Quando ainda era criança, um professor de piano interpretou a “estranha” habilidade do jovem Van Gogh como um sinal de insanidade. 

Fonte: Ståle Grut

No cenário mundial atual, a jovem cantora neozelandesa Lorde é um dos exemplos de artistas que possuem sinestesia. Lorde afirma que produz suas músicas de acordo com os tons e imagens geradas pelas melodias, utilizando grandes mapas de cores. Além dela, a cantora Billie Eilish e seu irmão, o produtor Finneas O’Connell, também relatam possuir e utilizar a condição durante os momentos de criação artística. Para ambos, a música e os visuais são uma única entidade. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome