Testes utilizando anticoagulantes em pacientes com Covid-19 geram bons resultados

Método administra o medicamento heparina em pacientes com sintomas severos

O Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, iniciou um experimento em pacientes internados com Covid-19, utilizando o medicamento anticoagulante heparina. A técnica ainda está em fase de observação, mas os resultados clínicos preliminares foram positivos. O objetivo dos pesquisadores é diminuir a intensa coagulação causada pela doença e evitar a necessidade de ventilação mecânica. 

Os pacientes internados em estado grave e com problemas de oxigenação no sangue, receberam doses de medicamentos anticoagulantes que foram aumentando lentamente. Essa técnica foi utilizada em 30 pacientes, dos quais 25 não precisaram ser intubados. As cinco pessoas que estão na UTI já haviam iniciado o tratamento sob cuidado intensivo. Os outros não precisaram de aparelhos e receberam alta em pouco tempo.

Isso levou os pesquisadores à conclusão de que o medicamento precisa ser administrado antes do paciente chegar ao estado crítico. Segundo eles, a dificuldade está em definir exatamente qual o melhor momento para iniciar o uso dos anticoagulantes. Além disso, a utilização do medicamento precisa ser controlada, pois uma dose errada pode causar hemorragias. No hospital, a equipe médica têm usado o anticoagulante assim que a diminuição da oxigenação no sangue começa, antes dos pacientes irem para a UTI. 

A coagulação é uma resposta do próprio organismo aos efeitos agressivos do vírus na estrutura pulmonar. Porém, isso acaba entupindo os vasos sanguíneos mais finos, que consequentemente compromete a microcirculação e prejudica a troca gasosa. Então, o paciente começa a apresentar problemas de oxigenação no sangue. O estudo preliminar revelou que a medicação ajuda a desfazer os coágulos que se formam na microcirculação do pulmão e em outras partes do corpo.

O tratamento não é uma cura, mas pode ajudar a evitar diversas mortes pela doença. Em razão dos resultados positivos, os anticoagulantes serão usados por outros grupos de pacientes que estão no Hospital das Clínicas da USP. Um artigo científico com os dados coletados até o momento está sendo produzido e deve ser publicado em poucos dias. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome