Médico israelense e consultor da OMS, Yossi Bahagon, fala sobre as inovações da saúde digital

Novidades acerca da medicina remota foram discutidas no evento Abrafarma Future Trends

Durante a sétima edição do Abrafarma Future Trends, o Dr. Yossi Bahagon falou diretamente de Israel sobre o futuro da saúde mundial, principalmente em relação aos desafios criados pela pandemia do novo coronavírus. O evento trata-se do mais importante congresso farmacêutico do País e um dos maiores das Américas, incentivando novas ideias, negócios entre os participantes e inovações nesse setor.

O médico israelence que atua clinicamente na área da família, Yossi Bahagon, é consultor especial da Organização Mundial da Saúde (OMS) e um dos maiores impulsionadores da saúde digital em Israel. Yossi é um dos parceiros do OurCrowd, fundo de investimentos para startups sediado em Jerusalém, que já financiou diversas iniciativas tecnológicas na área da saúde. Bahagon também é o fundador da Clalit Health Services, uma das maiores organizações de saúde israelenses.

Ecossistema de saúde digital

O Start-Up Nation é um programa do governo israelense para incentivar a criação de novas empresas com foco na medicina remota. As plataformas de saúde são usadas por milhões de pessoas, tendo como objetivo principal a promoção de uma vida saudável com ética, qualidade e facilidade. De acordo com o Dr. Bahagon, o sistema segue cinco tendências: consumo de informações relacionadas a saúde; pressão econômica; envelhecimento da população; falta de profissionais especializados e o atrativo da medicina personalizada. A telemedicina, por exemplo, foi responsável por reduzir pela metade os atendimentos em prontos socorros israelenses. 

Os registos de saúde presentes no ecossistema integrado permite ao paciente acessar os próprios dados e de alguns familiares, como, por exemplo, informações sobre os filhos. Determinados dados são automaticamente compartilhados e outros, com elementos mais particulares, não. Além disso, o programa também disponibiliza animações com dicas, tutoriais e recomendações de profissionais da saúde. “O sistema dá ao médico a oportunidade de acessar o histórico de saúde completo do paciente”, elucida Bahagon. Tudo funciona com a participação conjunta de pacientes, médicos e farmácias.  

Próximas novidades

Em Israel, o sistema funciona há mais de 10 anos e a equipe responsável continua implantando soluções que podem facilitar ainda mais o exame remoto. Uma delas é a utilização de um aparelho que funciona como GPS do corpo. “O programa ensina ao paciente como realizar corretamente os procedimentos necessários e as informações coletadas são enviadas na hora para que um médico possa formar o diagnostico”, esclarece o Dr. Yossi.

Através do aplicativo, que possui um sensor de movimentos e inteligência artificial capaz de identificar elementos, o paciente recebe instruções de como manusear o aparelho para recolher as imagens ou dados corretos. A experiência é toda focada no usuário e personalizada para atendê-lo da melhor forma possível.

Investimentos na ciência e Covid-19

Yossi afirmou que o diferencial de Israel está na noção acerca do quanto investimentos em ciência e start-ups são essenciais. “Grande parte dos investimentos vem de outros países. Também temos uma cultura que incentiva desde cedo a busca por conhecimento e inovação”, relata Bahagon. Neste cenário, os setores se influenciam, ou seja, a mesma tecnologia pode ser empregada em diferentes áreas, com inovações de qualquer área sendo utilizadas para salvar vidas. 

Dr. Yossi Bahagon, fundador da Clalit Health Services

De acordo com o médico, a pandemia fez a telemedicina tornar-se obrigatória e não apenas mais uma possibilidade. “O mundo jamais vai voltar ao que era tempos atrás. A Covid-19 acelerou a adoção desse tipo de tecnologia e vai marcar a história da humanidade”, relata o médico. “É cedo para dizer o que vai acontecer, mas acredito que o estilo de vida das pessoas vai mudar completamente”, completa.

Saúde digital no Brasil

Apesar das dificuldades e obstáculos existentes no cenário brasileiro, o médico israelense acredita que é possível implementar as inovações da saúde digital no país. Atualmente, o sistema israelense está sendo traduzido para o português, entretanto, as especificações são mais sensíveis e complexas por envolver saúde. Segundo Yossi Bahagon, é essencial não tentar modificar tudo ao mesmo tempo, estudando as melhores formas de instalar essas tecnologias na rotina da população.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome