Extrato de planta amazônica auxilia no crescimento e resistência imunológica do peixe pirarucu

Os peixes aumentaram aproximadamente 19% de peso durante o experimento

O cipó-alho (Mansoa alliacea), também conhecido como alho da floresta, cipó da mata ou ajo sacha, é uma planta medicinal tipica da Amazônia e foi batizada com esse nome por causa do forte cheiro de alho que ela exala quando está sendo triturada. Sua flor com tonalidade degradê do rosa ao roxo compõe diversos arranjos ornamentais. Recentemente, testes inéditos de laboratório, feitos pelos pesquisadores da Embrapa Amapá, concluíram que a planta é capaz de engordar, estimular o crescimento e melhorar a resistência imunológica dos filhotes de pirarucu. 

Experimentos com o extrato de cipó-alho

A equipe de cientistas borrifou o extrato de cipó-alho na ração destinada aos peixes e constatou que eles aumentaram aproximadamente 19% de peso durante o processo. Os animais alimentados no experimento também apresentaram melhora na sanidade e crescimento, assim como uma maior resistência a infecções por bactérias e a condições de estresse de manejo. 

Os testes, conduzidos em conformidade com a Sociedade Brasileira da Ciência em Animais de Laboratório (SBCAL) e aprovado pelo Comitê de Ética no Uso de Animais da Universidade Federal do Acre (Ufac), duraram um mês, com os filhotes de pirarucu sendo alimentados quatro vezes por dia. O composto experimental continha entre 0,4 e 12,0 gramas de extrato para cada quilo de ração. Segundo os pesquisadores, o melhor resultado foi observado na dieta que incluiu 8 gramas de extrato. 

Jefferson Christofoletti/Embrapa

A descoberta é especialmente interessante para os piscicultores que acabam aumentando seus lucros com peixes cultivados maiores e mais resistentes. O objetivo dos pesquisadores era encontrar um imunoestimulante regional amazônico capaz de oferecer, em conjunto, crescimento estrutural e maior desempenho da imunidade. Além disso, o cipó-alho é fácil de ser encontrado, diminuindo os custos para a produção do extrato. Um dos seus componentes do cipó-alho é a alicina, substância responsável por induzir o consumo de ração e melhorar o desempenho zootécnico dos peixes. 

Preparo do composto 

Para produzir o extrato, é preciso colher folhas frescas da planta e triturá-las para fazer a extração hidroalcoólica do produto. A combinação, que deve conter dez mililitros de álcool etílico a 70% para cada grama da planta, então é guardada por 12 horas em temperatura ambiente. Logo depois, tudo precisa ser filtrado utilizando papel filtro ou um pano bem fino e misturado com a ração para peixes carnívoros. O composto final deve passar 24 horas secando antes de ser guardada no refrigerador.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome