A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou 2020 como o Ano Internacional dos Enfermeiros e das Parteiras. Atualmente, o Brasil possui mais de dois milhões de profissionais da área que trabalham em funções essenciais para o sistema de saúde, como, por exemplo, nos cuidados de pacientes graves e controle de doenças infecciosas. 

A importância dos enfermeiros recebeu um destaque ainda maior diante da recente pandemia causada pela Covid-19. São eles que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, arriscando-se diariamente para salvar vidas e enfrentando uma rotina exaustiva, com sobrecarga física e psicológica. 

Os sacrifícios pessoais também têm sido constantes. Muitos estão lidando com a distância e a saudade dos familiares, pois escolheram sair de casa para protegê-los. Aqueles que continuam morando com a família, precisam passar por uma rigorosa rotina de medidas protetivas para tentar garantir a segurança de todos. 

Resultados do problema estrutural no sistema de saúde

A situação do sistema de saúde brasileiro já é complicada há algum tempo, porém, essa realidade foi intensificada com a pandemia. Infelizmente, os riscos para esses profissionais também cresceram. No país, os enfermeiros sofrem com a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) e com a qualidade dos materiais que são recebidos, causando uma exposição  preocupante ao vírus.

As consequências já estão sendo presenciadas. O país lidera o ranking mundial de mortes entre os profissionais de enfermagem. Até o momento, foram 98 óbitos na categoria, ultrapassando os números dos Estados Unidos, Itália e Espanha somados. Segundo a OMS, o número total de profissionais mortos em decorrência do vírus no mundo é 260. 

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) informou que, dos mais de 160 mil infectados pelo coronavírus no Brasil, pelo menos 13 mil são enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem. Aqueles que apresentaram resultado positivo para a doença precisaram se afastar, aumentando ainda mais sobrecarga dos profissionais diante da crescente demanda.

O novo coronavírus é, até agora, um inimigo misterioso. A carência de treinamento apropriado é um dos motivos que dificulta o trabalho de atendimento e combate dos enfermeiros, assim como a ausência de estrutura para os pacientes Eles também precisam lidar com a perda de amigos e colegas de ocupação. Para tentar minimizar os impactos mentais desse cenário, o Cofen disponibilizou um serviço online para atendimento psicológico desses profissionais, que pode ser acessado no site do conselho. 

Reivindicações dos profissionais e homenagens pelo mundo

A categoria segue lutando por reconhecimento profissional no Brasil. Entre as reivindicações, estão salários dignos e coerentes. Diversos enfermeiros relatam a necessidade de jornadas duplas ou triplas para conseguir pagar as contas. Essas jornadas são quase sempre longas e exaustivas, por isso, eles também lutam pela carga horária adequada, com uma redução para 30 horas semanais. 

Nesse momento, o mundo está vivendo uma situação que destaca ainda mais a importância dos enfermeiros. Por todos os continentes, os profissionais da saúde recebem agradecimentos e homenagens da população. Países como a Itália, Portugal, Estados Unidos e muitos outros reservam momentos durante o dia para demonstrar gratidão por todos os cuidados e dedicação desses indivíduos que já salvaram tantas vidas.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome