No dia 5 de agosto é celebrado o Dia Nacional da Saúde, instituído por meio do Decreto-lei de número 5352, em 8 de novembro de 1971, como homenagem ao médico e cientista brasileiro Oswaldo Cruz, que nasceu nesse mesmo dia. A data busca conscientizar os brasileiros sobre a importância de priorizar os cuidados pessoais, seja com o corpo ou com a mente.

Trata-se de uma oportunidade para lembrar que a saúde vai muito além da ausência de enfermidades, estando relacionada com inúmeros hábitos e atitudes rotineiras. Conjuntamente, a mesma data marca o Dia Nacional da Vigilância Sanitária, instituído em 2015, e o Dia Nacional da Farmácia, criado para reverenciar as atividades realizadas pelo setor.  

Médico e cientista Oswaldo Cruz

A data escolhida é uma homenagem ao nascimento do médico brasileiro Oswaldo Gonçalves Cruz, um pioneiro no estudo de doenças tropicais e medicina experimental que nasceu em 5 de agosto de 1872. Filho de médico, Oswaldo seguiu os mesmos caminhos do pai e, em 1892, escolheu cursar medicina na Universidade do Rio de Janeiro. No ano de 1901, Oswaldo foi nomeado Diretor Geral de Saúde Pública (cargo que hoje corresponde ao Ministro da Saúde), onde permaneceu até 1909. 

A trajetória do médico representou um marco nos cuidados com foco na saúde pública e na educação sanitária. Ele exerceu um papel fundamental no combate às epidemias do século XX, implementando medidas sanitárias no combate à doenças como febre amarela, peste bubônica e varíola. Seu convencimento diante dos benefícios da vacinação obrigatória (mais tarde decretada pelo governo federal) causou respostas agressivas e protestos por parte da população carioca, episódio que ficou conhecido como Revolta da Vacina. 

As pesquisas e ações realizadas por ele fizeram com que o cientista ganhasse reconhecimento internacional. Em 1907, ele foi responsável pelo fim da febre amarela no Brasil, proeza que o levou a receber uma medalha de ouro em Berlim durante o Congresso Internacional de Higiene e Demografia. Dentre suas várias contribuições, Oswaldo Cruz também realizou a campanha de saneamento da Amazônia.  

A farmácia no Brasil

A farmácia é uma ciência que desenvolve e produz medicamentos a partir de matérias primas, tais quais plantas e animais. Os primeiros profissionais farmacêuticos no Brasil vieram de Portugal ainda no período colonial. Apenas no ano de 1961 houve a criação do Conselho Federal de Farmácia (CFF) no país, com o objetivo de registrar profissionais e empresas da área, fiscalizar a execução das atividades e tutelar os trabalhadores do ramo. 

As farmácia são estabelecimentos responsáveis por formular e manipular medicamentos, ao contrário das drogarias, que apenas comercializam os fármacos já prontos. Desde o início da atual pandemia de Covid-19, causada pela transmissão do novo coronavírus, os estabelecimentos farmacêuticos não fecharam suas portas, nem mesmo durante os períodos de lockdown (confinamento total) decretados em algumas cidades, por conta de seus serviços essenciais para a população. 

Pandemia de Covid-19

O Dia Nacional da Saúde e o Dia Nacional da Farmácia em 2020 estão sendo celebrados durante um momento histórico e extremamente delicado para ambos os setores. A pandemia tornou a reflexão sobre saúde e bem-estar ainda mais importante e evidente. Até o momento, a doença já soma mundialmente mais de 18 milhões de casos e 700 mil óbitos confirmados. A preocupação diante do vírus fez com que os brasileiros adotassem comportamentos como: lavar bem as mãos e as compras sempre que chegar em casa, deixar os sapatos do lado de fora, evitar tocar superfícies públicas, entre outros.

O período evidenciou as falhas e a necessidade de investimentos no setor da saúde brasileiro. Para conseguir contornar a situação, o governo repassou uma quantidade enorme de recursos para serviços médicos, aquisição de equipamentos e contratação de mais profissionais. Foram mais de R$ 16 bilhões de reais enviados pelo Ministério da Saúde para os estados e municípios, exclusivamente para ações contra o coronavírus. 

Além disso, não só a saúde física foi colocada em teste. O isolamento, adotado como medida de controle da Covid-19, desencadeou uma série de desafios psicológicos, principalmente para os profissionais que atuaram na linha de frente contra o vírus e precisaram continuar trabalhando durante os momentos críticos.

Vigilância sanitária nacional 

Ainda no mesmo dia, é comemorado o Dia Nacional da Vigilância Sanitária, tendo como proposito reconhecer este setor que é um dos mais importantes da saúde pública. A vigilância sanitária funciona como uma rede de proteção para as pessoas, estabelecendo condições rigorosas para aprovação e registro de inúmeros produtos, além de monitorar vários serviços de saúde. O setor da vigilância sanitária é o agente de diversas ações de preservação da saúde, garantindo a qualidade dos produtos e serviços que são disponibilizados para a população.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), criada em 1999, garante o desempenho de todas essas atuações. Durante a época de pandemia do novo coronavírus, é o setor da vigilância que vem estabelecendo as medidas de enfrentamento sanitário contra a doença.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome