No dia 8 de junho é celebrado o Dia Mundial dos Oceanos, estabelecido durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento, conhecida como RIO-92. O evento foi realizado em junho de 1992, no Rio de Janeiro, onde mais de 100 chefes de Estado discutiram práticas e técnicas de desenvolvimento sustentável.

Para 2020, o tema escolhido foi “Inovação Para Um Oceano Sustentável”, tendo o proposito de chamar a atenção do mundo para a proteção dos oceanos e evidenciar as consequências sofridas pelas ações humanas. A ONU reitera a importância da união de todos em prol de iniciativas ecológicas e desenvolvimento de novos métodos, ideias e produtos com foco na preservação.

Aproximadamente 70% do planeta é coberto pelos oceanos, são eles os responsáveis por absorver um terço do gás carbônico produzido pela humanidade, além de proporcionar a maior parte do oxigênio que respiramos. O oceano também é o regulador mais poderoso do clima, exercendo um papel vital no controle do aquecimento global. Por isso, especialistas determinaram que precisamos proteger pelo menos 30% do planeta azul até 2030, segundo o site do World Oceans Day.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou que “temos a oportunidade e responsabilidade de corrigir nosso relacionamento com a natureza, incluindo mares e oceanos”. De acordo com a organização, a saúde do oceano está diretamente relacionada com a saúde de todas as pessoas. 

Guterres chamou atenção para o aumento do nível do mar, causado pelas alterações climáticas, que segue ameaçando o meio de vida e existência de comunidades pelo mundo. Os oceanos são essenciais para diversas atividades humanas como alimentação, fonte de renda e transporte. Mesmo assim, o comportamento da população mundial continua colocando esse corpos de água em risco. 

Década dos Oceanos 

Os anos entre 2021 e 2030 irão marcar a Década dos Oceanos em todo o planeta. Instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU), a década tem como objetivo fomentar a produção de conteúdo sobre os oceanos através da cooperação internacional. Serão desenvolvidas pesquisas científicas e inovações tecnológicas que irão conectar o conhecimento sobre os oceanos com as necessidades da sociedade. 

António Guterres pede que governos e empresários ofereçam recursos para a conservação e sustentabilidade dos oceanos. Cientistas, pesquisadores e ambientalistas também esperam que a busca por conhecimento receba investimentos, permitindo encontrar as respostas de alguns dos mistérios do oceano.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome