Dados indicam que a transmissão de Covid-19 por pacientes sem sintomas é rara

Segundo uma representante da OMS, é incomum a transmissão por infectados assintomáticos

Durante uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (8), a chefe do Programa de Emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS) e epidemiologista,  Dr. Maria Van Kerkhove, afirmou que a transmissão do novo coronavírus por pessoas que não apresentam sintomas parece ser rara. “Pelos dados que temos, parece ser raro que uma pessoa assintomática de fato transmita [o vírus] para um indivíduo secundário”, declarou Van Kerkhove na coletiva em Genebra. 

A conclusão baseou-se nos números reportados por vários países que estão fazendo um rastreio e acompanhamento detalhado das pessoas contaminadas. “Eles seguem rastreando os casos assintomáticos e não estão encontrando transmissões secundárias em diante”, explica Maria. “Estamos constantemente analisando os dados e tentando adquirir novas informações dos países, para realmente encontrar uma resposta”, completa.

Uma das grandes preocupações no início da pandemia era a possibilidade dos portadores assintomáticos intensificarem a propagação. Contudo, a médica declarou que essa transmissão pode ocorrer, mas não é a forma principal de contágio, pois não é tão comum. O conselho é que os governos com grande capacidade de testagem priorizem o rastreamento e isolamento dos infectados com sintomas para uma contenção mais rápida.

É importante lembrar que muitos casos parecidos com infecções assintomáticas são na verdade pré-sintomáticas. A epidemiologista explicou que, apesar de não apresentarem as manifestações clássicas da Covid-19, como febre alta ou dificuldades respiratórias, os pacientes ainda possuem sintomas leves.

Diferença entre assintomáticos e pré-sintomáticos 

Logo depois, a epidemiologista Maria Van Kerkhove voltou a abordar o assunto após algumas críticas de pesquisadores sobre as suas afirmações. Eles utilizam suas redes sociais para avisar que a declaração da médica foi ambígua e informar que infectados podem transmitir o vírus antes de apresentarem sintomas. O cientista Ashish K. Jha, da Universidade de Harvard, explicou que somente 20% das pessoas infectadas são verdadeiramente assintomáticas. 

As fases pré-sintomáticas são os estágios iniciais de uma doença, antes dos sintomas serem desenvolvidos. Por outro lado, um paciente assintomático é aquele que não apresenta sintomas durante toda a infecção. Especialistas reiteram que os infectados com sintomas leves ou diferentes do comum podem transmitir normalmente a doença, inclusive no período antes dos sintomas surgirem. 

A Organização Mundial da Saúde publicou uma declaração no outro dia esclarecendo as declarações de Van Kerkhove. A organização reiterou que os assintomáticos são capazes de transmitir a Covid-19, mas os cientistas ainda não sabem dizer quanto e com que intensidade. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome