Coronavírus | Número de infectados no mundo ultrapassou 5 milhões

Confira as atualizações sobre o vírus e a busca pela vacina

O mundo chegou ao número de 5 milhões de infecções confirmadas pelo novo coronavírus. Ao todo, mais de 329 mil pessoas já morreram de Covid-19, segundo a plataforma de monitoramento em tempo real da Universidade Jonhs Hopkins. Aproximadamente um milhão de novos casos são registrados a cada duas semanas desde o começo do mês de abril, quando o mundo chegou ao primeiro milhão de infectados. 

No Brasil, a página do Ministério da Saúde para divulgação de dados sobre a Covid-19 confirmou 291.579 casos e 18.859 óbitos. O país está no terceiro lugar mundial do número de infectados pelo vírus, ficando atrás apenas da Rússia e dos Estados Unidos. As regiões Sudeste e Nordeste são as que apresentam maior incidência, com 113.609 e 100.416 casos respectivamente.  

Até o momento, 15 das 20 cidades brasileiras com as maiores taxas de mortalidade estão no Norte e as outras 5 no Nordeste. Apenas nesta terça-feira (19), o país somou 1.179 óbitos e 19.951 infectados, maior número de mortos e casos confirmados em 24 horas desde o início da pandemia. 

Desemprego sobe nos Estados Unidos e Europa teme segunda onda da doença

Nesta semana, a taxa de desemprego nos Estados Unidos alcançou 14,5%. Antes do coronavírus essa porcentagem era de 3,5%. Foram mais de 38 milhões de desempregados em 9 semanas. O país, que possui mais de um milhão e meio de infectados, vem sofrendo com as medidas de isolamento social que forçaram a paralisação de estabelecimentos não essenciais. O grupo financeiro Goldman Sachs, sediado em Nova Iorque, projeta que a taxa de desemprego dos EUA atinja um pico de 25%. 

A União Europeia acredita que haverá uma segunda onda da doença. De acordo com a diretora do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC), Andrea Ammon, o coronavírus terá um novo pico nos países europeus, resta apenas saber quando e qual intensidade ele terá. O continente detém 40% dos 5 milhões de casos mundiais. 

Empresa recebe US $1 bilhão para desenvolvimento da vacina

A AstraZeneca, empresa farmacêutica presente em mais de 100 países, anunciou na manhã de hoje (21) que recebeu 1 bilhão de dólares em contribuições de autoridades americanas para desenvolver, fabricar e entregar uma vacina contra o novo coronavírus. O desenvolvimento está sendo feito em conjunto com a Universidade de Oxford.

De acordo com o grupo britânico, eles estão preparados para entregar pelo menos 400 milhões de doses da vacina, denominada AZD1222, até setembro deste ano e afirmou que são capazes de produzir outras 1 bilhão de doses entre esse e o próximo ano. A AstraZeneca indicou que a produção aconteceria em mais de um país. 

Contudo, especialistas avisam que uma potencial vacina contra o SARS-CoV-2, caso desenvolvida, pode não conferir imunidade total ao vírus. A AstraZeneca reconheceu que a imunização pode não funcionar. Atualmente, pelo menos 80 grupos ao redor do mundo estão trabalhando para desenvolver

Um teste clínico está sendo realizado desde o início do mês passado no sul da Inglaterra, com 1.000 voluntários saudáveis que possuem entre 18 e 55 anos. Ainda não foi definido quando os resultados desse teste estarão disponíveis.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome