Confira as cidades mais poluídas do mundo e os danos dessa realidade

Sete milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por complicações geradas pela falta de qualidade do ar

O termo poluição refere-se a quantidade de substâncias prejudiciais aos humanos ou ao planeta que está presente no ar. Atualmente, 91% da população mundial vive em regiões onde a qualidade do ar está abaixo dos padrões indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ou seja, ultrapassam as diretrizes de qualidade do ar ambiente para a média anual de partículas com um diâmetro inferior a 2,5 micrômetros (PM2.5). 

Segundo a organização, pelo menos sete milhões de pessoas morrem prematuramente todos os anos por complicações geradas pela falta de qualidade do ar. O Índice de Qualidade do Ar (IQA) transforma as medidas da concentração de diversos poluentes em um único valor, de acordo com dados coletados dentre milhares de estações. O indicativo foi criado para informar o nível de poluição no ar em determinadas localizações e proporcionar maior entendimento sobre o ar que respiramos. 

Cidades com os piores níveis de qualidade do ar

Uma plataforma online da IQAir, empresa suíça de tecnologia focada na qualidade do ar,  permite ao visitante acompanhar em tempo real o índice de qualidade do ar em diversas cidades do mundo. Batizada de AirVisual, a plataforma conta com a parceria da organização Greenpeace e disponibiliza um ranque mundial de cidades, com o objetivo de notificar aquelas que tiveram a pior qualidade média do ar ao longo de um ano. A cidade industrial de Ghaziabad, na Índia, ficou na primeira posição. Seguida por Hotan, na China, Gujranwala e Faisalabad, no Paquistão e Deli, na Índia. 

Infelizmente, o Sul da Ásia continuou com índices preocupantes no ano de 2019. Segundo o ranque, das 30 cidades mais poluídas do mundo, 21 estão na Índia. O Paquistão e a China também encontram-se em situações alarmantes, com 5 e 2 cidades respectivamente. Nestes locais, a concentração de partículas finas (PM2.5) – um dos principais poluentes do ar, que inclui substâncias como sulfato, nitratos e carbono negro – varia de 15 a 50 µg/m³. As recomendações da OMS sugerem que os valores não devem passar de 10 μg/m3.

Trajetória até esse ponto

A poluição pode ser causada tanto por fenômenos naturais, quanto por ações humanas. Entretanto, o acúmulo de comportamentos e atividades humanas é o principal contribuinte quando falamos da qualidade do ar. Cada região apresenta seu conjunto de agentes específicos, que depende da contribuição de fatores culturais e econômicos. A urbanização frequentemente desordenada das cidades é uma das principais culpadas. Os países europeus, por exemplo, viveram esse momento durante a revolução industrial, ainda no século XVIII. Agora, os países subdesenvolvidos estão seguindo um caminho parecido. 

Quando falamos de poluição, as principais atividades propulsoras são: utilização de automóveis ou qualquer outro transporte movido a gás, intensa atividade industrial, queima de materiais vegetais para aquecimento ou energia, descarte de poluentes no solo e atividades de agricultura. As indústrias são as maiores fontes globais de vários elementos químicos que contribuem para a poluição e a destruição da camada de ozônio. Existem consideráveis problemas ambientais causados pelo crescimento industrial desmedido nos últimos séculos.

Problemas de saúde

As complicações de saúde provenientes da poluição dependem da quantidade de substâncias poluentes presentes, intensidade e duração do período em contato com esse ar. Nos piores casos, partículas minúsculas de poluição acumulam-se nos pulmões ou sistema cardiovascular, provocando doenças como câncer de pulmão, derrames, infecções respiratórias, cardiopatias e muitas outras. As consequências da exposição a longo termo são imensuráveis. O ar poluído está ligado a problemas na saúde mental, além de afetar o desempenho escolar e colaborar com o aumento da criminalidade. A poluição ainda é responsável por enfraquecer a performance física e mental das pessoas.

Na cidade de Nova Deli, capital da Índia, bares que vendem oxigênio saudável foram inaugurados no início de 2019. No OxyPure, um dos estabelecimentos mais conhecidos, os clientes têm a oportunidade de respirar 15 minutos de ar puro pelo valor de 500 rúpias (aproximadamente 35 reais). O oxigênio é inalado através de uma cânula nasal, dispositivo com dois tubos que se encaixam nas narinas, e o usuário pode escolher entre diversas opções de aromas, como lavanda, eucalipto ou canela.  

Em um primeiro momento a existência do local pode parecer exagerada, mas torna-se cada vez menos excêntrica conforme encaramos os dados acerca do ar em Nova Deli. Ainda no ano de 2017, respirar na capital já era equivalente a fumar quase 45 cigarros todos os dias. Pesquisas realizadas pela OMS afirmam que nove entre dez pessoas no mundo respiram frequentemente ar com níveis perigosos de contaminação.  

Poluição no Brasil 

No Brasil, São Paulo foi a primeira cidade que apareceu na lista de mais poluídas do mundo, ficando na 74ª posição. Considerando a avaliação por países, o Brasil ficou na 44ª posição entre aqueles com a pior qualidade do ar, recebendo a classificação “moderada”. A maior parte das cidades brasileiras com uma avaliação insatisfatória estão em regiões associadas com queimadas agrícolas. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome