Como funcionam os ventiladores pulmonares?

Em casos de insuficiência respiratória, a ventilação artificial simula a respiração natural do paciente

A respiração é responsável pela circulação do oxigênio no organismo. O processo ocorre quando trocamos gás oxigênio (O2) e dióxido de carbono (CO2) com o meio ambiente. Para que ele seja realizado, é necessário que todos os órgãos do sistema respiratório estejam funcionando adequadamente. 

Quando o paciente apresenta dificuldade nas atividades cardiorrespiratórias por diferentes fatores, podem ser utilizados os ventiladores pulmonares como opção para ajudar a manter o paciente vivo enquanto ele não é capaz de executar os movimentos respiratórios sozinho. Esse fornecimento artificial de oxigênio é conhecido como oxigenoterapia, a técnica tem como objetivo levar oxigênio para o sangue e manter as trocas gasosas no organismo. 

O ventilador pulmonar, também conhecido como respirador mecânico, fica conectados às vias aéreas e serve para adequar o suporte, volume e pressão dos gases no corpo de um paciente com insuficiência respiratória. O médico ajusta as definições de fluxo, volume, tempo e pressão no fornecimento de gases do aparelho, levando em consideração características e necessidades do paciente. Então, o ventilador mistura o ar e o oxigênio na quantidade definida e fornece esse volume de ar para os pulmões através de tubos. 

Nos casos menos complicados, os tubos são inseridos na boca ou no nariz dos pacientes. Quando a situação faz com que o indivíduo precise ser entubado, o tubo é colocado na base frontal do pescoço através do procedimento de traqueostomia 

O equipamento apresenta diferentes componentes, dependendo do modelo. Em geral, ele possui válvulas reguladoras de pressão, misturador, controles, filtro de bactérias, nebulizador, umidificador e válvulas de exalação ou expiratória. O ciclo respiratório garantido pelos ventiladores é dividido nas fases inspiratórias, na ciclagem, expiratória e no disparo.  

A ventilação artificial funciona simulando a respiração natural do paciente. Por isso, a pessoa não trabalha a musculatura respiratória e pode acabar perdendo força e massa muscular. O aparelho também pode causar um aumento na lesão pulmonar como efeito adverso da respiração mecânica, ou até mesmo aumentar a possibilidade de desenvolvimento de uma pneumonia, já que o equipamento concede uma conexão direta com o pulmão. Sendo assim, a equipe médica precisa estar profundamente capacitada para diminuir os riscos ao máximo. 

Ventiladores pulmonares e a Covid-19

A insuficiência respiratória (IRPA) é uma das complicações e principal causa de morte da Covid-19, pois pode evoluir para uma síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Diante disso, os ventiladores pulmonares são recursos necessários para possibilitar o tratamento nos casos mais extremos. O aparelho mantém o paciente de Covid-19 vivo enquanto outras medidas e medicamentos são utilizados para combater a infecção.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome