Cinemas drive-in: opção criativa para o isolamento

Várias cidades brasileiras adotaram o modelo para contornar as restrições de aglomeração

AUGUST MOON DRIVE-IN

Há mais de 3 meses, milhares de estabelecimentos brasileiros precisaram fechar as portas temporariamente por causa da pandemia de Covid-19. As medidas de isolamento proibiram qualquer tipo de aglomeração não essencial para conter a disseminação do novo coronavírus. O modelo clássico de cinema, onde dezenas de pessoas assistem filmes em uma sala fechada, é apontado como um dos últimos setores que irá retomar o funcionamento durante a flexibilização da quarentena. 

Para contornar as restrições impostas pelas autoridades, diversos empresários brasileiros estão investindo nas adaptações de cinemas drive-in. Famoso nos Estados Unidos durante a década de 50 e 60, o modelo consiste em uma grande tela posicionada diante de um espaço aberto, onde são exibidos filmes para as pessoas assistirem dentro do carro. O áudio é transmitido através de uma frequência de rádio ou caixas de som espalhadas pelo local. 

Allison Lee Isley/Wiston Salem Journal

Várias cidades como Goiânia, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro receberam instalações improvisadas para funcionamento desses cinemas. Até início do ano, o Cine Drive-in de Brasília era um dos últimos em funcionamento no Brasil. As iniciativas beneficiaram a vida de quem estava sentindo falta de assistir filmes nas telonas. Nesse momento, é o drive-in que está movimentando a economia do setor. Os ingressos custam em torno de 20 reais por veículo e os catálogos são bem variados, desde velhos clássicos até lançamentos. 

As estruturas foram montadas em locais abertos, como parques e estacionamentos, e atendem todas as orientações dos órgãos de saúde. Os espectadores não podem sair dos casos, exceto para ir ao banheiro. Em algumas instalações, vendedores levam suas barracas de comida ou food trucks para entregar ao público nos veículos. Segundo as indicações médicas, apenas pessoas que moram juntas devem compartilhar o mesmo carro. 

Allison Lee Isley/Wiston Salem Journal

Além da exibição de filmes, os empresários também convidaram bandas e outros artistas para performar nesses locais. Já foram realizados cerimônias religiosas, shows e apresentações diversas pelos cinemas drive-in do mundo. A recepção do público tem sido uma surpresa positiva. Na maioria dos espaços, os ingressos acabam esgotados rapidamente.

Ainda não é possível saber quando os cinemas convencionais vão voltar a funcionar no Brasil, mas as aberturas já estão acontecendo em outros países. Em Paris, uma empresa de cinema colocou pelúcias em alguns assentos para garantir o distanciamento nas salas de exibição. Os organizadores não sabem se os cinemas drive-in continuarão recebendo público após a pandemia, mas esperam que o hábito tenha voltado para ficar.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome