Café: um amor que ajuda ou prejudica a saúde?

O típico cafezinho possui diversos benefícios para a saúde, mas seu consumo em excesso pode trazer riscos

Os brasileiros bebem em média de 4 a 5 xícaras de café por dia, fazendo com que o grão dessa bebida ganhe do arroz e feijão na lista de alimento mais comprados no país. Uma pesquisa feita pela ABIC (Associação Brasileira da Indústria do Café) concluiu que o café é a segunda bebida mais consumida pelos brasileiros, perdendo apenas para a água. Diante disso, não fica difícil entender a importância da xícara de café na rotina do brasileiro, mas será que esse hábito é saudável?

A substância mais conhecida do café é, sem dúvidas, a cafeína. Porém, esse não é o único componente importante dele. Os ácidos clorogênicos (agentes antioxidantes) são os que estão em maior quantidade na bebida, que também concentra vitamina B3 e diversos minerais. Por conta do seu intenso fator antioxidante, pesquisas afirmam que as 4 xícaras ingeridas pelos brasileiros são suficientes para aumentar em 10% a expectativa de vida dos homens e 13% das mulheres.

Os compostos antioxidantes presentes no grão de café são capazes de diminuir em até 11% os riscos de insuficiência cardíaca, de acordo com a Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard. Isso acontece porque eles combatem os radicais livres, moléculas instáveis que aumentam o colesterol ruim no organismo e podem causar problemas cardíacos. 

Além disso, a bebida é uma boa parceira daqueles que desejam perder peso, pois acelera o metabolismo e a queima calorias a partir da ativação do sistema nervoso simpático e oxidação lipídica. Sem falar no seu efeito termogênico, que ajuda a manter o metabolismo acelerado para maior oxidação de gordura, melhorando a disposição e performance física. 

Diversos estudos apontam o café como agente eficaz contra o Alzheimer e como protetor do cérebro contra as dietas ricas em colesterol. Ele também contribui para o funcionamento do neurotransmissor dopamina, fazendo com que os sintomas do Parkinson sejam amenizados. O consumo do café está relacionado a vários outros benefícios, como a prevenção de câncer no fígado, a melhora no funcionamento do intestino, o fortalecimento da memória e a redução dos problemas respiratórios. 

Contudo, consumir café em excesso pode ser muito arriscado para a saúde. Alguns dos efeitos envolvem taquicardia, palpitações e tremores. Sua atuação no sistema nervoso também pode gerar insônia e ansiedade. Por isso, a quantidade máxima de cafeína por dia recomendada pelos médicos é 400mg, o que equivale a mais ou menos três ou quatro xícaras de café. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome