Asma: entenda a doença e os motivos de preocupação diante da Covid-19

Os portadores da doença estão no grupo de risco da infecção pelo coronavírus

A asma é resultado de um processo que ocorre quando os brônquios (tubos cartilaginosos que ligam a traqueia aos pulmões) entram em contato com substâncias irritantes, causando uma contração com o objetivo de impedir que essas substâncias cheguem aos alvéolos (local onde ocorrem as trocas gasosas entre o ar e o sangue). A redução ou obstrução da passagem de ar é resultado dessa inflamação crônica dos brônquios. 

Nos asmáticos, as crises podem variar de frequência e intensidade. As causas da asma ainda são desconhecidas, mas os médicos acreditam que ela está relacionada com as condições ambientais e alimentação. O fator genético também pesa, quando um dos pais sofre de asma ou outro processo alérgico, existe um risco maior de desenvolver a doença. 

Geralmente, a asma que surge nos primeiros anos de vida tem uma boa probabilidade de melhorar na adolescência ou vida adulta. Ela é uma das doenças crônicas mais comuns da infância, mas também pode se desenvolver em adultos. A doença é confirmada através de testes respiratórios que avaliam a função pulmonar. 

Os especialistas indicam diversas medidas para evitar as crises, como não possuir tapetes, cortinas, bichos de pelúcia ou qualquer coisa que possa acumular poeira. Lavar e expor as roupas de cama ao sol frequentemente, para evitar os micro-organismos que podem provocar os acessos. Também é importante tentar identificar quais os estímulos desencadeiam as crises e eliminá-los. 

Primeiramente, é preciso tratar o acesso de asma, ou seja, a crise asmática, que consiste na tentativa sem sucesso de respirar, gerando a sensação de que o ar não está chegando aos pulmões. Nessa fase, existem medicamentos que podem ser administrados para controlar o quadro respiratório. Nos casos em que as crises são mais frequentes, a pessoa asmática precisa fazer tratamentos contínuos no intervalo entre elas, evitando novos episódios. 

Covid-19 e o risco dos asmáticos 

A pandemia de Covid-19, doença respiratória causada pelo coronavírus, levantou um novo alerta vermelho para as pessoas que sofrem de asma, colocando-os no grupo de risco. De acordo com o Ministério da Saúde, os indivíduos que possuem essa doença são mais suscetíveis às complicações causadas pela infecção por coronavírus, pois já são portadores de uma doença pulmonar.  

O sintoma mais conhecido da Covid-19 é o mesmo presente nas crises asmáticas: a falta de ar. Os médicos afirmam que é necessário prestar atenção em outros sintomas, como febre ou dores no corpo. Em casos onde as suspeitas persistirem, é importante procurar um hospital ou especialista. 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome