Agosto Dourado: mês do aleitamento materno no Brasil

Campanha promove a amamentação exclusiva até o sexto mês de vida

A campanha Agosto Dourado busca incentivar a amamentação nos primeiros anos de vida, principalmente até o sexto mês do bebê. A iniciativa foi instituída oficialmente em 2017 pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e está relacionada com a Semana de Aleitamento Materno (SAM), coordenada pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA). A utilização do termo “dourado” é uma referência à qualidade do leite materno, que possui um padrão de ouro. O alimento é completo e responsável por proteger a criança, auxiliando na redução da mortalidade infantil.  

Durante o mês de agosto, são realizadas diversas ações de esclarecimento sobre a importância do aleitamento materno para sobrevivência e desenvolvimento do recém nascido. O movimento busca não apenas conscientizar as mulheres sobre o assunto, mas também a população como um todo. A amamentação é um ato de amor completamente natural, por isso, uma mãe não deveria ser constrangida ou censurada ao amamentar seu filho em público. 

A amamentação é crucial para o desenvolvimento do bebê

A primeira secreção liberada pelo seio da mulher após o parto é conhecida como colostro, um líquido formado durante a gravidez que é composto por proteínas, vitamina A e minerais. Cada mãe produz um colostro específico e desenvolvido de acordo com as necessidades do bebê. O líquido também é elaborado para suprir perfeitamente as necessidades nutritivas e protetoras do recém nascido, sendo considerado a primeira e a melhor vacina que se conhece.

A evolução e desenvolvimento do bebê estão profundamente relacionados ao aleitamento materno. O leite produzido pela mulher contém água, gorduras, proteínas, vitaminas e açúcares, além de anticorpos, em quantidades ideais para garantir a saúde, crescimento e sobrevivência do recém nascido. Por esse motivo, os especialistas indicam consumo do leite materno exclusivamente até o sexto mês de vida. 

O leite materno protege a criança de enfermidades como infecções respiratórias e diarreia. Durante a vida adulta, um início de vida baseado na amamentação ajuda a diminuir o surgimento de doenças como diabetes, hipertensão e obesidade. Os benefícios do aleitamento materno também abrangem as mulheres. Ele diminui o risco de desenvolvimento do câncer de mama e de útero, auxilia na perda de peso pós-parto, diminui a ansiedade, previne a anemia e estreita laços afetivos entre mãe e filho.

Semana Mundial de Aleitamento Materno (SAM) e Agosto Dourado

Uma reunião entre a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no ano de 1990, resultou na fundação da Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação (WABA), composta por diversas ONGs que tinham como objetivo efetivar as recomendações acerca da amamentação determinadas durante o encontro (as diretrizes estabelecidas são chamadas Declaração Innocenti). Em 1992, essa rede de organizações criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SAM) para promoção e apoio ao aleitamento materno.

O período oficial de ações da Semana de Aleitamento Materno ocorre entre os dias 1 e 7 de agosto em mais de 120 países, com adaptações para a realidade de cada local. Contudo, as instituições decidiram estender a temporada de comemorações e criaram o Agosto Dourado. O tema da SMA em 2020 é “Apoiar a Amamentação para um planeta mais saudável” (em tradução livre), tendo como foco os impactos da alimentação infantil no meio ambiente. A reflexão proposta envolve a amamentação como fator de influência na proteção do meio ambiente e saúde de todos, pois o leite materno é um alimento seguro, natural e renovável que não utiliza nenhum tipo de embalagem. 

A campanha no Brasil

No Brasil, a Semana de Aleitamento Materno é celebrada desde 1999 com supervisão do Ministério da Saúde. Já no ano de 2017, a Lei nº 13.435, que definiu agosto como o mês do aleitamento materno, foi sancionada. Infelizmente, uma pesquisa realizada em conjunto pela OMS e Unicef em 2017, mostrou que apenas 39% das mulheres brasileiras alimentam seus filhos exclusivamente com leite materno até os seis meses. Esses dados revelam a indispensabilidade de políticas e ações sociais que promovem a amamentação. 

Durante o mês de agosto, são realizados eventos, atividades e outras iniciativas voltadas para as mães, bebês ou familiares acerca do valor presente, tanto no leite materno em si, quanto na execução dessa dinâmica entre mãe e filho. Da mesma forma, ocorre a distribuição de materiais informativos e postagens nas plataformas sociais de instituições públicas de saúde para divulgar informações sobre o assunto. Também é essencial oferecer auxílio especializado no decorrer do ano para as mulheres que desejam amamentar.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Por favor digite seu nome